Postagens

Mostrando postagens de Dezembro 13, 2015

A terceira oportunidade de Dilma Rousseff

Imagem
Atualizado em 18/12/2015 - 01:20 Luis Nassif A sessão do STF (Supremo Tribunal Federal) de ontem foi histórica. Não assegurou o mandato de Dilma. Sua sobrevivência política dependerá do que fizer daqui para frente. Mas definiu normas mínimas de respeito às instituições e aos procedimentos. Mas que isso, foi um julgamento primoroso, com a apresentação do relatório do Ministro Luiz Edson Facchin – a favor da votação secreta, da indicação da comissão do impeachment votada pela oposição e do afastamento da presidente assim que a Câmara autorizasse o julgamento. Depois, com os argumentos contrários – e vitoriosos - do Ministro Luiz Roberto Barroso a favor do voto aberto, contra a indicação da comissão pela oposição (sem passar pelo voto dos líderes de bloco) e com afastamento da Presidente só em caso do Senado aceitar o julgamento. Em cada direção, os votos foram apresentados de forma serena, elegante, com argumentos e contra-argumentos devidamente sopesados. As not

Isaque, o sorriso de uma promessa e o meu testemunho pessoal

  Na presente lição da EBD, voltaremos para a narrativa bíblica a respeito de Isaque, e seu relacionamento com Deus. Inicialmente destacaremos que esse foi prometido a Abraão, quando já em idade avançada. Porém, em vez de uma subsídio para a lição, gostaria de compartilhar com você, a experiência pessoal que eu e minha esposa tivemos, também esperando uma promessa como Abraão e Sara. A postagem abaixo eu publiquei aqui em fevereiro de 2010, sobre o tempo de espera até o recebimento para nós de três lindas bençãos. O texto foi escrito um mês antes da chegada dos trigêmeos, atualmente, eles estão com quase seis anos: O SONHO NÃO ACABOU   Depois que postei a notícia dos trigêmeos, recebi várias mensagens de carinho e congratulações. Meu muito obrigado a todos! Deus os abençoe! Eu e minha esposa Ana Cristina, somos casados à 16 anos. Quando nos casamos eu já era evangelista da igreja. Depois de casados, ela começou um tratamento, pois o médico dela disse que tinha um problem

Eleições da CGADB - Quem será o próximo presidente? As opiniões discordantes sobre o tema

Imagem
Recentemente o Pr. Carlos Roberto do blog Point Rhema, que eu sempre acompanho, publicou, o artigo do   Pr. Jesiel Padilha   com o seguinte Título:   CGADB - QUEM SERÁ O PRÓXIMO PRESIDENTE? Agora, refutando o artigo supracitado, o  Pr. Daladier Lima , editor do blog   REFLEXÕES SÔBRE QUASE TUDO   publicou uma refutação ou resposta em seu próprio blog, depois também publicado no Point Rhema, sob o título: Eleições na CGADB - Refutando um artigo de um cardeal assembleiano.  Ao clicar nos nomes dos blogues citados você terá acesso as duas postagens que possuem opiniões diferentes sobre o mesmo assunto que considero importante pois trata-se da eleição que definirá quem conduzirá a maior convenção assembleiana no Brasil. Um dos objetivos da blogosfera é de informar e também permitir a livre manifestação de opiniões. Dito isso, dou meus parabéns aos dois blogueiros. Quero manifestar também meu posicionamento pessoal sobre o tema. Com relação ao comentário do Pr. Daladier Lima,

Jogos do Poder

O Brasil está assiste hoje um jogo de poder que envolve os representantes dos poderes da República, no caso do Executivo, tanto a titular como o vice. Há também outros atores no jogo, como quem perdeu eleição e quer uma nova antes do prazo estabelecido. Ficou evidente pela Operação Lava Jato que as empresas, principalmente as grandes também fazem parte dos jogos do poder.   Mas política a parte, falando agora, sobre o título, jogos do poder e relacionando com a Palavra, pode-se dizer que, tudo é jogo neste mundo caído. Jogo consciente. Jogo inconsciente. Mas é jogo, e nós nem sempre nos damos conta disso. A prova mais cabal desse “Game” que se instalou como sistema de interpretação e também de prática humanos, nos vem do próprio Trama que "Historificou" a Cruz.   Se não, veja: Temos Jesus e seus discípulos. Um movimento cresce... Curas, milagres, doutrina que se difere de tudo e todos; autoridade nunca vista, e um sentimento de maravilha que domina a tudo e todos: D