Postagens

Mostrando postagens de Outubro 5, 2014

MEU TESTEMUNHO - PARTE 04 - A PRIMEIRA EXPERIÊNCIA PASTORAL

Em janeiro de 2002, depois de ter sido líder de jovens, professor de escola dominical, palestrante de missões, escatologia e heresiologia, fui pastorear minha primeira igreja. Fui o primeiro pastor daquela igreja, que naquele mês foi oficializada como congregação ligada a igreja sede. Antes, havia sido uma sub-congregação, onde chegou a funcionar uma reunião semanal de oração.  Quando assumi a igreja, ela estava fechada, as tentativas anteriores de abrir ali uma igreja, haviam sido até então, todas frustradas. No primeiro culto que dirigi, não sabia quantas pessoas iriam aparecer. No final do culto, havia 16 pessoas. Marquei a reunião de escola dominical e na primeira reunião, eu fui o superintendente e o professor de adultos e a minha esposa deu aula para as crianças. Os cultos eram em salão de um irmão da igreja.  Com vinte anos de convertido, aquela estava sendo uma experiência única e singular na minha vida. Marcamos uma campanha de oração, todos os dias, e era interessant

Subsídio para EBD - A firmeza do caráter moral e espiritual de Daniel

Imagem
" Então, Daniel foi introduzido à presença do rei. Falou o rei e disse a Daniel: És tu aquele Daniel, dos cativos de Judá, que o rei, meu pai, trouxe de Judá ?" (Dn 5.13). Quem foi Daniel? No que sua vida e conduta são relevante como exemplo para a geração de líderes atual? São algumas questões que tentaremos responder neste breve artigo. Daniel (Deus é meu juiz) foi descendente da alta nobreza judaica (Dn 1.3; Josefo, Anti. 10.10,1). Foi levado cativo para a Babilônia por Nabucodonosor em 605 a .C. juntamente com outros jovens judeus com as mesmas qualidades. O Livro de Daniel nos revela que apesar das condições adversas, este grande servo de Deus conseguiu manter um padrão de conduta moral e de vida espiritual, que nos serve de exemplo para uma conduta cristã em meio a moderna Babilônia, caracterizada pela pluralidade religiosa, pelo relativismo moral, e por um academicismo frívolo e conivente com estas questões. A Infância de Daniel: Tempo de Lançar as Bases