Postagens

Mostrando postagens de Abril 19, 2020

Reportagem do Fantástico na Globo em 1978 atacava os televangelistas - Billy Graham e cia

Imagem
Há 32 anos atrás, reportagem do Fantástica na TV Globo, sobre a "Igreja eletrônica". Na verdade é uma ataque aos televangelistas que chegavam com força no Brasil através da televisão: Billy Graham, Rex Humbard, Bernard Jonhoson e nos anos 80 ainda teria Jimmy Swarggatt. Um registro histórico.

O ministério de profeta

Quando se lê o Antigo Testamento, vemos que os profetas não foram meros microfones que amplificavam e decodificavam o falar de Deus, mas gente com uma cultura, temperamento e individualidade. A tarefa do profeta não se resumia em transmitir o ponto de vista divino. Ele era o referencial do povo. O profeta em Israel não vaticinava apenas. Ele era também poeta, pregador, patriota, crítico social. Iniciavam suas profecias com juízo mas sempre concluíam com esperança e redenção. O profeta não repetia jargões, não perpetuava o que já fora dito, mas pensava fora dos paradigmas. Não era convencional. A mágica de suas palavras vinha de sua intuição, de seu inconformismo e da largura de seus anseios. Inúmeras vezes a linguagem do profeta foi hiperbólica. O exagero era uma maneira de mostrar sua angústia, seu desespero de não se acovardar diante do iminente fracasso nacional. Meu apetite em ler os profetas fez nascer em mim o desejo de vê-los entre nós. Entendo que o ministério profético com

Em defesa da democracia e do Estado de Direito