Postagens

Mostrando postagens de 2018

Famoso Frei católico pergunta: Porque a Igreja Católica fez opção pelos pobres e eles fizeram pelos pentecostais?

O texto abaixo foi publicado em 0612/2016 /pelo Frei Betto. Além de continuar muito atual explica bem não somente o cenário religioso brasileiro como também até o político desse ano. "Há quem diga que a Igreja Católica optou pelos pobres, e os pobres, pelas Igrejas evangélicas. Isso tem certa dose de verdade se considerarmos os índices que demonstram que, nos últimos anos, houve diminuição do número de católicos no Brasil e aumento de protestantes (adeptos das Igrejas históricas) e evangélicos (adeptos das Igrejas pentecostais e neopentecostais). Segundo o Censo, em 2000 73,6% da população era formada por católicos e apenas 15,4%, por protestantes e evangélicos. Já em 2010, os católicos representavam 64,6% e os protestantes e evangélicos, 22,2%. Em dez anos, o número destes no país aumentou 61,45%. Hoje eles são 42,3 milhões. Em 1970, eram 4,8 milhões (5,2% da população). Estima-se que, a cada ano, sejam abertos, no Brasil, 14 mil novos templos evangélicos. Os evangélic

A igreja e o poder político

A igreja em nosso país tem a tendência de desenvolver uma relação ambígua com o poder político. O poder constituído não sabe existir como tal ao lado de qualquer outra entidade ou realidade que, crescendo, possa constituir para ele ameça.  Quando isso acontece, o Estado lutar contra ela, ou então a absorve. No nosso caso, aqui no Brasil, historicamente o poder constituído não tentou nos enfrentar. O que ele fez foi assimilar-nos, absorver-nos, e nós num certo sentido, permitimos que isso acontecesse.  Quando eles sentiram que tínhamos uma teologia que nos ensinara uma atitude de quieta subserviência a qualquer tipo de poder constituído, uma compreensão do mundo que nos fazia viver em guetos fechados e relativamente bem organizados, e que éramos em quantidade suficiente para fazermos diferença em pleitos políticos, e que ao manipular-nos, poderiam alterar as coisas; então, em lugar de nos rejeitarem, eles nos assimilaram. Hoje a grandeza numérica da igreja evangélica brasil

Meu posicionamento nas eleições de 2018 - Pr. Ricardo Gondim

Todo líder religioso tem o dever de se antecipar à história antes que algum desastre aconteça. No jargão da teologia, isso se chama “ser profético” – já que profecia é um diagnóstico dos rumos que os eventos podem, ou não, tomar. Portanto, se um pastor falha em avisar sobre o futuro, ele fracassa em sua vocação. Por outro lado, por lidar com diversidade de pensamentos e com pessoas de diferentes perfis, o líder religioso deve proibir a si mesmo de querer influenciar os votos de sua comunidade. Ele, ou ela, não pode usar de suas prerrogativas para tentar gerar em seu auditório “comportamento de manada”. É sua obrigação jamais manipular com medo, falsos inimigos; e nunca identificar os que pensam diferente como aliados do Diabo. Dito isso, a partir desses dois parágrafos, sinto pesar sobre os ombros o imperativo de prever: o que vem por aí se mostra tenebroso caso Bolsonaro prevaleça. Se não me compete afirmar em quem votar, aceito como mandamento aconselhar em  quem não votar : #el

Evangélicos publicam carta contra o uso do nome de Deus em campanhas eleitorais Texto se opõe ao nome da coligação de Jair Bolsonaro chamada "Brasil acima de tudo, Deus acima de todos"

Imagem
Carta Pastoral à Nação Brasileira foi elaborada por 88 religiosos e já conta com 2.520 assinaturas. Publicado em 24/09/2018. Magno Malta e Silas Malafaia declaram apoio ao presidenciável de extrema-direita Jair Bolsonaro. Pastores, pastoras e líderes evangélicos e cristãos de diferentes igrejas lançaram, neste mês a  Carta Pastoral à Nação Brasileira , contra e extremismos e violências do conturbado momento eleitoral do país. A Carta Pastoral, que está disponível na internet para assinatura, é uma reação ao apoio de líderes evangélicos ao presidenciável de extrema-direita Jair Bolsonaro (PSL), ao “voto de cabresto” e à instrumentalização da fé cristã para uso político. A Carta contém 12 tópicos, que tratam de vários temas, como o repúdio a todo tipo de preconceito, violência e uso de Deus para fins políticos partidários, defesa dos menos favorecidos e da diversidade, além de lembrar aos cristãos o perdão, o amor e a esperança. Foi elaborada por 88 religiosos e já conta com 2.

Eu, as eleições e a política - relato de experiência pessoal

A primeira vez que votei foi no ano de 1986. Foi a primeira vez que votei. Em outubro daquele ano completei 18 anos, tirei meu título e fui votar. As opções para governador de Minas Gerais eram Newton Cardoso-PMDB, Itamar Franco-PL e Murilo Badaró-PDS. Como não entendia nada de política e ainda com medo do comunismo em plena Guerra Fria, votei no candidato do PDS, antiga ARENA. Em 1989, foi quando comecei minha politização mais à esquerda, como a maioria dos jovens da época. Éramos os chamados “filhos da ditadura”, nascidos nos anos 60 e 70, em busca de liberdade, fim da censura, etc. O Lula me assustava, pois eu via o PT como uma extrema esquerda, mas o Brizola já me atraia, pois para mim era um representante do Getúlio Vargas, que eu admirava pelos livros de história. Era a primeira eleição direta para presidente desde 1960, e seria também a primeira a ser realizada em dois turnos. Quando chegou o primeiro turno, acabei votando num candidato que representava para mim uma po

Hipocrisia versus santidade

No meio cristão há doutrinas, que além de não serem bíblicas, são também o que chamo de Mães da Hipocrisia. E por quê? Primeiro, porque em tais doutrinas tem-se um conceito muito limitado de pecado. São aquelas doutrinas que afirmam que o verdadeiro cristão nunca peca e se pecar é porque nunca nasceu de novo. Somente quem não conhece a santidade de Deus e a natureza humana é que pode afirmar tais doutrinas. Em tais perspectivas doutrinárias, se garante que o crente não peca porque para elas o conceito de pecado está limitado apenas à área do comportamento Moral-sexual. Ora, em tais casos, se o irmão ou a irmã não adulteram e não se prostituem, então não pecam! Todos nós sabemos que este era precisamente o princípio que governava a estreiteza do conceito de pecado dos fariseus. Jesus, no entanto, jamais acusou o “comportamento Moral” deles, mas o que eles tinham “dentro de si”(Leia Mt. 23). De fato, eu sofro quando vejo pessoas afirmarem que é possível a um crente viver sem peca

Corpo do pastor Antônio Gilberto será velado na AD Cordovil, no RJ Pastores comentam a morte do religioso, reconhecido por seu trabalho no ensino teológico

Imagem
O corpo do  pastor Antônio Gilberto  está sendo velado na Assembleia de Deus Ministério de Cordovil, Rio de Janeiro (RJ). O velório estava previsto para começar entre as 18h e 19h, onde os fiéis, amigos e familiares começarão a se despedir do pastor. O sepultamento está marcado para acontecer nesta terça (31) no Cemitério Memorial do Rio às 15h. Aos 91 anos, o pastor Antônio Gilberto deixou um grande legado, principalmente na área do Ensino, sendo um dos principais nomes da teologia pentecostal. Sua morte gerou grande comoção entre os pastores da Igreja Assembleia de Deus de todo o Brasil. O pastor Silas Malafaia comentou em um vídeo sobre a importância do religioso para o segmento.  Assista aqui . O deputado federal Paulo Freire escreveu que o pastor foi “um servo de Deus que deixa um legado e uma lacuna na Assembleia de Deus no Brasil, sendo uma referência teológica, um amigo, um conselheiro e um homem fiel ao Senhor”. Pelo Instagram, o  pastor José Wellington Bezerra da

Após denúncias, cantores gospel cancelam participação em evento de seita Aline Barros, André Valadão e Priscilla Alcântara emitiram notas oficiais

Após uma série de denúncias nos últimos  dias, O “Festival Família 2018”, que  ocorrerá  no Allianz Parque (SP) dia 4 de agosto, não terá mais as participações de Priscilla Alcântara, Aline Barros e André Valadão. Três dos quatro nomes que fariam apresentações no evento promovido pela Igreja da Unificação, uma seita coreana fundada pelo Reverendo Moon, usaram as redes sociais para explicar a desistência. Apenas Thalles Roberto ainda não se pronunciou. Moon dizia ser uma reencarnação de Jesus e que estaria na terra para “terminar a sua obra”. No passado, a Igreja da Unificação já procurou aproximação com segmentos evangélicos. Em 2011, realizou um evento no Brasil e se  aproximou de lideranças da Assembleia de Deus Ministério Madureira . Essa nova investida, com a contratação de nomes conhecidos do meio gospel, fez soar o alarme entre vários pastores. Ontem,  o pastor Silas Malafaia foi contundente no vídeo que divulgou , pedindo que os cantores anunciados não participassem. A

Crivella diz que sofre perseguição da Globo: “Inimiga dos evangélicos”

Nesta quarta-feira (11), o Ministério Público do Rio de Janeiro ajuizou uma ação civil pública contra o prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (PRB). A acusação é de “improbidade administrativa”, pois ele teria utilizado a máquina pública para atender a interesses de igrejas evangélicas. A 5ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva de Defesa da Cidade está conduzindo as investigações desde agosto do ano passado. Crivella, que é bispo licenciado da Igreja Universal do Reino de Deus, poderá responder por ter permitido a realização de eventos da igreja em escolas públicas e pelo encontro com pastores no Palácio da Cidade, sede do governo municipal do Rio. Desde a semana passada, o jornal “O Globo”, vem fazendo denúncias sobre o prefeito, acusando-o de oferecer facilidades para os pastores, como ajuda para solucionar problemas com IPTU e auxílio aos fiéis que precisem de cirurgias de catarata, vasectomia e varizes. Áudios vazados por alguém que estava na reunião mostram Criv